RGC Arquitetura

SOBRE SUSTENTABILIDADE


CONCEITO

"Desenvolvimento sustentável significa suprir as necessidades do presente de forma a não afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem as próprias necessidades."

Gro Harlem Brundtland - política, diplomata, médica e líder internacional em desenvolvimento sustentável e saúde pública



Sustentabilidade - RGC Arquitetura

RGC ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

O projeto sustentável deve garantir o maior cuidado com as soluções propostas tanto do ponto de vista ambiental como dos aspectos sociais, culturais e econômicos, proporcionando o bem estar do usuário final a curto, médio e longo prazo.
A RGC Arquitetura possui profissionais capacitados para orientá-los quanto a projetos sustentáveis e se desejar, como proceder com as certificações existentes no mercado.



CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

Uma construção sustentável deve ser planejada a partir da fase de concepção do projeto arquitetônico até a sua ocupação.

1. LEVANTAMENTOS E CONCEPÇÃO DO PROJETO

a) Levantamento do programa de necessidades, de forma que o projeto seja desenvolvido de forma individual e personalizada, atendendo a todas as necessidades funcionais e estéticas do cliente.
b) Levantamento do local considerando as vantagens e desvantagens do entorno, como o seu contexto geográfico, a paisagem, as águas pluviais, o ecossistema e a biodiversidade, a topografia do terreno e o seu contexto social.
c) Concepção do projeto levando em consideração o programa de necessidades do cliente e o levantamento do local.

2. CONSTRUÇÃO

a) Escolha integrada de produtos, sistemas e processos construtivos:
Averiguação da matéria-prima utilizada, levantando sua procedência, extração, transporte, se é derivada de um processo de reciclagem ou se é um recurso renovável, quantidade de resíduo gerado, eficiência energética, ciclo de vida, manutenção e toxicidade.
b) Canteiro de Obras de baixo impacto ambiental:
Gestão do canteiro de obras com responsabilidade social da mão-de-obra e a minimização dos impactos da construção, como os relacionados ao transporte de materiais, aos resíduos gerados, à limpeza, ao consumo de água e energia, aos incômodos sonoros e à morfologia do terreno e a da nova edificação. A construção é feita de forma limpa e eficiente, de forma que desperdícios e o impacto com as construções vizinhas são minimizados.

3. GESTÃO

a) Gestão da Energia
Redução do desperdício de energia, uso de alternativas limpas para o aquecimento de água, como o uso de placas solares, além de outras soluções para a geração de energia limpa, como placas fotovoltaicas.
b) Gestão da Água
Implementação de sistemas economizadores de água, reuso de água da chuva, tratamento de esgoto no próprio local, piscina com tratamento natural, dispensando o uso de cloro.
c) Gestão de resíduos de uso e operação do edifício
Adequação entre a coleta interna e externa, controle da triagem dos resíduos e a otimização do sistema de coleta interna considerando os locais de produção, armazenamento, coleta e retirada.
d) Gestão da manutenção
Facilidade de acesso para a execução da manutenção e simplicidade das operações, informação destinada aos futuros ocupantes e gestores.

4. CONFORTO

a) Conforto Higrotérmico (manter a temperatura essencial ao conforto humano)
Implementação de medidas arquitetônicas para otimização do conforto higrotérmico de verão e inverno. O conforto é essencial para o bem estar das pessoas que utilizam o local, sendo que diversas alternativas podem ser usadas, as mais comuns descritas abaixo:
Brises – alternativa para os locais onde a incidência solar é maior. Os brises oferecem sombra, ao mesmo tempo em que deixam a claridade exterior passar para o interior. São muito eficientes para bloquear a incidência excessiva de calor solar em uma fachada, diminuindo a necessidade do uso de ar-condicionado. Deve ser um elemento que agregue valor na arquitetura do projeto.
Laje/telhado "verde" – Um dos recursos mais eficazes quanto à diminuição da transferência de calor entre o ambiente externo e interno. Grande isolante térmico, resfria o ambiente no verão e o mantém aquecido no inverno. A cobertura passa a ser uma área permeável, diminuindo alagamentos, as plantas produzem oxigênio, purificando o ar, e atraem insetos e pássaros, aumentando a biodiversidade nas cidades.
Vidros – Os vidros são os principais responsáveis pela transmissão de calor e de som para um ambiente interno, portanto, sua escolha deve ser feita com cautela. Existem diversos tipos de vidros e cada um exerce uma função. Podemos utilizar, por exemplo, o vidro insulado que bloqueia a entrada de calor no ambiente e diminui os ruídos externos.
Paredes duplas – As paredes duplas com uma camada de ar interior devem ser construídas nas faces com maior incidência solar.
b) Conforto Acústico
Conforto acústico entre a unidade habitacional e os outros locais de uma mesma edificação e conforto acústico entre o interior e o exterior de uma construção. O isolamento acústico deve ser feito nas paredes externas e internas de uma edificação, nos pisos que dividem os seus pavimentos, na cobertura e nas aberturas para o exterior, daí a correta especificação dos vidros e esquadrias utilizados.
c) Conforto Visual
Aproveitar da melhor maneira os benefícios da iluminação natural, como através do uso de aberturas zenitais, um recurso para trazer luz e/ou ventilação natural ao interior da edificação por meio de aberturas no teto, diminuindo a necessidade, durante o dia, de iluminação artificial em um ambiente.
Dispor de uma iluminação artificial confortável e segura, através de um projeto de iluminação aliado ao uso do cliente naquele ambiente. Além disso, o uso de lâmpadas LED faz com que a iluminação seja eficiente com uma manutenção praticamente nula, e uma diminuição drástica no consumo de energia elétrica.
d) Conforto olfativo
Ventilação eficiente, principalmente nas cozinhas e nas áreas sanitárias, através de ventilação natural ou, se for o caso, do uso de exaustores.

5. SAÚDE

a) Qualidade sanitária dos ambientes
Criar boas condições de higiene nos ambientes, através de uma vedação eficiente e do uso correto dos revestimentos.
b) Qualidade sanitária do ar
Ventilação eficiente e controle das fontes de poluição.
c) Qualidade sanitária da água
Assegurar a manutenção da qualidade da água destinada ao consumo humano nas redes internas do edifício, através da limpeza das tubulações, da proteção em relação à poluição exterior e à mudança de temperatura.

6. UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS APLICADOS NA CONSTRUÇÃO

Orientar os futuros usuários do local quanto a utilização dos equipamentos e soluções utilizadas na construção da edificação.



blogger
facebook
+55 11 99682-6768